Tirado a Ferros branco 2015
69 0

E este vinho (re)lembra-me uma pequena história real: um acidente de carro com três mortos, um tetraplégico e eu neste momento inteiro a escrever. Ainda hoje os sinto… Moral da história: não deixes para amanhã o que podes fazer hoje. Por vários motivos, e sem saber porquê, adiei a abertura deste vinho. Adiei adiei adiei

Borlido branco 1995
34 0

Gosto de escrever. E de um bom vinho. Sinto que tenho necessidade de dizer quem sou e o que estou a fazer.Sinto que tenho necessidade de deixar algo escrito.Porque a vida não é eterna e deixar algumas palavras escritas pode ser uma forma de eternidade.Por mim, pelo texto e pelo vinho.Principalmente de vinhos desaparecidos… Ricardo Soares

Esmero 2016 Branco
50 0

Parafraseando Miguel Torga, diria que este vinho “é uma coisa imensa, que não cabe numa teoria, num poema, num dogma, nem mesmo no desespero inteiro dum homem.”, in “Diário (1941)”.Confesso que me tenho afastado um pouco dos “Douros”, por diversos motivos, mas nos vinhos do Eng. Rui Soares encontro o meu porto seguro. Desde que

Permitido Centenária 2016
25 0

Todos os vinhos do Márcio Lopes são presença obrigatória na minha garrafeira e à mesa. Provoca sempre um sorriso.Li algures uma frase que dizia mais ou menos assim: “Até nos momentos de guerra há alguns sorrisos que lutam para amenizar a dor de tanta bestialidade.” E todos os Proibidos, Permitidos e Pequenos Rebentos trazem consigo

Boango branco Douro 2016
30 0

Guerra Junqueiro, in ‘A Musa em Férias’, começa assim: “Recordam-se vocês do bom tempo d’outrora, Dum tempo que passou e que não volta mais, …” Talvez resuma o vinho branco Boango Douro 2016 a estes dois versos. Creio que o Hugo, ao criá-lo, também sentiu a necessidade de reviver estas memórias, memórias dum tempo que