Giz vinhas velhas branco 2016
47 0

Ao beber o vinho Giz branco vinhas velhas 2016 relembrei-me de um excerto do poema de Saul Dias (irmão de José Régio), in “Essência”: “Um poema é a pedra duma escola com palavras a giz para a gente apagar ou guardar…” Faço destas palavras as minhas para definir este vinho, “apaguei-o” bebendo e guardo-o riscando

Quinta dos Abibes arinto & baga Reserva 2013
12 0

É verdade que não vou encontrar a pedra filosofal neste espumante, mas busco-a constantemente. Procurando-a, descubro muitos bons segredos que se não procuravam. São várias as pepitas que vou descobrindo no seu caminho, sempre cada vez maiores. Reforço: é muito mais do que propriedades organolépticas. Experimentem descobrir em vez de explicar… Não somos seres vegetativos,