Um dos grandes males de ter uma cave com muito vinho é, por vezes, estar ali especado como um burro a olhar para o palácio e não saber o que escolher. E, como diz a minha mulher: na dúvida vai em frente.

Não tenho nenhuma metodologia específica de organização dos vinhos na minha garrafeira, elaboro à minha maneira e sei o que tenho, como tal, coloco os vinhos favoritos sempre ao nível dos meus olhos. E naquele momento o que estava mesmo em frente a mim? – Abibes.

Peguei no tinto reserva 2014 e fui para a cozinha preparar o almoço, almôndegas feitas em casa de carne maturada com passata de tomate e Tagliatelle caseira e umas raspas de queijo.

Não é novidade para ninguém a excelente qualidade dos Abibes, e este tinto Touriga Nacional / Cabernet Sauvignon é a prova disso mesmo. Um requinte e uma elegância sem precedentes, prazeroso do princípio ao fim, com uma boa acidez e os aromas em plena harmonia. Todo o vinho acolheu muito bem os sabores do prato, ora os sabores da carne maturada, ora a massa e molho envolvente e o queijo lascado.
No fim questiono sempre: “como é possível este vinho só custar 10/11€, como?”

Os Abibes estão sempre presentes nos meus momentos mais especiais. Também têm sido uma excelente presença nestes momentos menos bons que atravessamos, em plena pandemia e confinamento.

A perfeição dentro de uma garrafa de vinho.

Ricardo Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *