Já ouviram os economistas e gestores a falar no “oceano azul” e no “oceano vermelho”?

Muito resumidamente o oceano vermelho são as guerras, concorrência desenfreada, em que todos tentam abocanhar uma parcela maior do mercado existente; no oceano azul imperam as oportunidades, o espaço de mercado desconhecido, inexplorado e livre de concorrência e de crescimento rentável.

Carinhosamente deixem-me falar no vinho Chão do Vale vinhas velhas branco 2017, que maravilhosamente nada em pleno oceano azul.

A zona de Lafões a ser redescoberta e a exibir a sua essência neste vinho.

Tudo dentro de uma garrafa brilhante, elegantíssima e sumptuosa, um vinho cheio de oportunidades sensoriais e um exemplo (pleno) de contemporaneidade.

Um vinho que entrou no lote dos melhores brancos que bebi este ano, de grande complexidade aromática, fresco, com uma acidez vibrante e de grande pendor gastronómico.

Nutro imensa estima e carinho pelo produtor, os mesmos proprietários da Quinta Chão de São Francisco e onde produzem o vinho Chão da Quinta.

Pequenas oportunidades são muitas vezes o começo de grandes empreendimentos económicos, sociais e culturais.

Lafões, qual fénix!

Ricardo Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *