Assunto: cinco dias, três Casa do Barroso alvarinho reserva 2017. Podia ser pior..

Creio que o produtor deste vinho, Jorge Barroso Pereira, irá compreender perfeitamente este texto. Só espero que a minha perturbação não tome proporções mais graves e ir parar às mãos dele!

Poderá um psicólogo como eu desenvolver perturbações psicológicas, presentes no DSM – Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders? Claro que sim, porque não!?

Comigo passa-se rigorosamente isso com o Casa do Barroso alvarinho reserva 2017…eu sei que o vinho é novo, precisa de guarda, vai estar melhor daqui a uns meses ou anos, patati e patatá…

Após folhear o DSM, à procura dos critérios que preencham a minha patologia, chego à conclusão que tenho Perturbação Obsessivo Compulsiva.

Diagnóstico:

Presença de obsessões pelo vinho Casa do Barroso nomeadamente pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes; bem tento ignorar ou suprimir tais pensamentos, impulsos ou imagens mas isso causa-me um certo sofrimento e ansiedade…

As compulsões estão igualmente presentes nos comportamentos repetitivos que me sinto compelido a executar em resposta à minha obsessão. Por isso a abertura do Casa do Barroso alvarinho reserva 2017 é uma prática recorrente visto que este comportamento visa prevenir ou reduzir a minha ansiedade ou sofrimento.

Mais informo que os sintomas obsessivo-compulsivos não se devem aos efeitos fisiológicos de qualquer substância, medicamentos ou outra condição médica.

Já escrevi sobre este vinho no blog Desarrolhar e já expus e teci várias considerações sobre ele nos grupos de Facebook. Tenho igualmente abordado, aconselhar e dar a provar este vinho junto dos meus círculos pessoais. A única diferença que encontro neste vinho é a de que, à medida que o tempo passa está cada vez melhor…

Ricardo Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *