Começo por falar neste Quinta da Pacheca reserva vinhas velhas 2011 com uma adivinha:

“Qual é a coisa qual é ela,
Para casamentos e baptizados
a mim me chamarão,
para coisas de cozinha,
falem lá com meu irmão.
O que é?”

A resposta a esta adivinha define a minha prova. Confesso que não foi a melhor experiência, talvez por minha culpa, do vinho, da temperatura, das condições a que possivelmente esteve sujeito, do copo, do prato que o acompanhou… sei lá, variadíssimos factores podem ter contribuído para tal. Bebi no máximo 1 copo e meio…
Até considero que este Quinta da Pacheca não é mau de todo mas ou não correspondeu às minhas expectativas ou não está aliado ao meu perfil de vinhos.
Apresentou-se com um tom rubi carregado, nariz discreto, marcado pela fruta vermelha madura e a boca marcada por alguma frescura e taninos vivos.
No entanto achei o vinho bastante robusto, cheio, com o álcool a sobressair e na totalidade da prova sempre os mesmos aromas.

Éramos dois a beber e dos 750 ml de vinho bebeu-se aproximadamente 300 ml.

Ricardo Soares

P.S.: para quem não souber a resposta à adivinha aqui fica: – “vinho e vinagre”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *