O Reserva da Casa Ferreirinha é considerado o irmão gémeo – para mim o irmão gémeo falso – do Barca Velha e são feitos com as mesmas uvas, provenientes de vinhas do Douro Superior de diferentes altitudes. O que determina se o vinho vai ser uma coisa ou outra é o potencial de envelhecimento que revela, sendo que os lotes indicadores de maior resistência, por mais anos, vão para Barca Velha.

O ano deste Reserva da Casa Ferreirinha 1996 ficou marcado no Douro por uma grande produção e por vezes uvas a mais não são sinal de qualidade. Nada mais errado… este vinho esteve muito elegante, fresco e com um corpo admirável. Claro que a garrafa tinha algum depósito mas toda a essência do vinho manteve-se intacta, bastante complexo, delicado e sedutor. Com cor escura no centro e auréola avermelhada esboçou expressivos aromas frutados, minerais e especiados. Na boca apresentou uma bela acidez e taninos elegantes. O final longo, persistente e envolvente.

Ricardo Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *